top of page
tampões da graduação

Como etapa final do nosso programa de pós-graduação, os alunos desenvolvem trabalhos de dissertações, os quais estão disponibilizados para acesso e consulta nos links abaixo:

1)   Capacitação sobre os Vetores da Doença de Chagas para Professores do Município de Teresina, Piauí.

Autora: Letícia Paschoaletto Dias.

Orientador:  Drª Teresa Cristina Calegari Silva.

A doença de Chagas (DC) é uma doença negligenciada causada pelo parasito Trypanosoma cruzi que afeta as populações mais vulneráveis do Brasil e América Latina, principalmente. O Brasil possui a maior diversidade de espécies vetoras da DC, os triatomíneos. No estado do Piauí, foram registradas oito espécies nos domicílios o que enfatiza a necessidade de iniciativas educativas para a conscientização das populações para a promoção de saúde. Com o objetivo de expandir os conhecimentos sobre os vetores da DC, foi estruturada e aplicada uma capacitação para os professores de escolas públicas de áreas rurais e urbanas de Teresina, município do Piauí. A capacitação ocorreu em dois dias, de forma remota, e contou com palestrantes especialistas no tema, que deram aulas teóricas e práticas sobre os diferentes aspectos da DC e seus vetores, propondo também aulas sobre metodologias educativas. A avaliação da mesma contou com a aplicação de três questionários, um anterior e dois posteriores à capacitação, além da transcrição de algumas percepções e vivências relatadas pelos professores. Após esse processo, foi estruturado um guia ilustrado voltada para professores, elaborado com base na capacitação  realizada. Os resultados do estudo evidenciaram aumento significativo de acertos em todas as perguntas, o que indica aquisição de conhecimentos sobre os vetores da DC. As interações ao longo das aulas e as perguntas abertas ilustraram a difícil realidade de Teresina quanto ao ensino e as dificuldades enfrentadas pelos professores, além da falta de visibilidade da DC na mídia e nos livros didáticos. Com isso, foi possível concluir que as capacitações de professores são iniciativas eficazes para construção de novos conhecimentos, atualizações e para difundir conhecimentos científicos. Os resultados apontam que capacitação e o guia ilustrado poderão auxiliar na conscientização sobre a DC, no registro da biodiversidade, no monitoramento dos vetores e na prevenção da doença.

2) Análise do conteúdo de botânica em livros didáticos do ensino fundamental e o desenvolvimento de sequência didática investigativa para o ensino de morfologia vegetal

Autor: Luana Balbino dos Santos

Orientador: Prof. Drª Bianca Ortiz

O ensino das ciências da natureza é fundamental para a formação integral do estudante, sendo importante para o estabelecimento de relações com o mundo tecnológico, além de proporcionar o entendimento da importância da biodiversidade fundamental para a manutenção da vida no planeta. Uma das dificuldades do ensino de ciências consiste na aproximação do conteúdo científico à realidade. No caso do ensino de botânica esses obstáculos são principalmente constituídos pela falta de atividades práticas, pelo uso limitado de tecnologias e pelo excesso de memorizações. Ao propor ações investigativas, como a observação de fenômenos, discussões, busca de respostas e soluções, o letramento científico, que apresenta destaque na Base Nacional Comum Curricular, pode ser articulado ao ensino por investigação e ao construtivismo. O letramento científico refere-se às práticas efetivas de ensino que incluem o indivíduo em uma sociedade científica. Diante do exposto, o objetivo desta pesquisa é fazer uma análise dos livros didáticos do ensino fundamental final, e desenvolver uma sequência didática investigativa para o ensino de morfologia vegetal. A abordagem metodológica foi qualitativa e quantitativa, e a análise de livros didáticos servirá como subsídio para o desenvolvimento da proposta didática. Como resultado, observou-se que os livros didáticos analisados não atendem à uma proposta de ensino investigativo que contribua com o desenvolvimento do letramento científico, apresentando na sua grande maioria propostas baseadas em memorização e ausência da perspectiva evolutiva. A sequência didática é proposta para alunos do 8o e 9o ano do ensino fundamental final, e está dividida em seis etapas que incluem princípios básicos do método de investigação científica e conceitos de morfologia vegetal. O produto didático produzido caracteriza- se como ferramenta para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem em botânica.

3)   Roteiro de esquete teatral, como ferramenta de ensino-aprendizagem sobre arboviroses tropicais, a partir da análisede livros didáticos do Ensino Médio

Autora: Rodrigo Oliveira Borges 

Orientador: Dra. Lilian Terezinha Costa

As arboviroses são doenças provocadas por arbovírus, ou seja, vírus transmitidos por artrópodes (insetos e aracnídeos) e que causam doenças como a Dengue, a Zika vírus e a febre Chikungunya. O surgimento do mosquito-vetor Aedes aegypti ocorreu nas florestas tropicais africanas e a escravização ajudou na dispersão por outros continentes. Devido às condições de sobrevivência do mosquito-vetor, como a alta temperatura e o grande volume de chuvas, as regiões tropicais têm registrado maiores casos dessas doenças. Em 2019, no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde e os boletins da Secretaria de Vigilância Sanitária (SVS) até a Semana Epidemiológica 30 (30/12/2018 a 28/07/2019), foram registrados 1.393.062 casos prováveis de Dengue, 97.900 de febre Chikungunya e 9.071 de Zika vírus no país. Ou seja, um aumento de 610,6%, 34,6% e 45%, respectivamente, em comparação ao boletim de 2018. O diagnóstico clínico dessas arboviroses, por observação dos sinais e sintomas é difícil, pois muitos são semelhantes e compartilhados entre eles. Assim, o tratamento é sintomático com medicamentos para amenizar os desconfortos das doenças. Uma abordagem constante, ampla e variada sobre essas três doenças pode auxiliar na compreensão de suas causas, consequências, tratamentos e prevenções. Considerando o ensino escolar como ferramenta de educação e promoção em saúde, deve-se analisar e conhecer os dados epidemiológicos a fim de transformar a história natural das doenças e contribuir para o crescimento e desenvolvimento da sociedade. Neste trabalho foi realizado uma análise de 10 livros didáticos para as turmas do segundo ano do Ensino Médio (E.M) de acordo com o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) de 2018 a fim de identificar a abordagem do tema. Foi elaborada uma ficha de avaliação desses livros
didáticos que, após suas análises, ficaram classificados da seguinte forma: quatro como “Básico”, dois como “Intermediário” e quatro como “Avançado”. A abordagem da Dengue, Zika vírus e a febre Chikungunya se demonstrou incompleta, com linguagem repetitiva e pouco esclarecedora. Foi elaborado um roteiro de esquete teatral, como forma de divulgação científica e complementar às aulas do ensino formal. A proposta desse roteiro é abordar os elevados números de casos de indivíduos acometidos por essas arboviroses, ratificando e fortalecendo o conhecimento prévio dessas doenças em relação ao ciclo de vida do mosquito-vetor e do vírus, os tratamentos e as prevenções. Em 2019, a pandemia do Covid-19 suspendeu as aulas presenciais por questões de segurança e saúde o que impossibilitou a participação dos alunos e a aplicação na escola. Trabalhos similares demonstraram a grande aceitação pelo público da ferramenta lúdica do esquete teatral. Além disso, foi apresentado um questionário, o qual poderá ser aplicado ao público de forma pré e pós como opção de avaliação do esquete. Caso aplicado, as respostas devem ratificar a eficiência do esquete como uma 
ferramenta de auxílio ao ensino e para o desenvolvimento de estratégias de promoção- educação em saúde, pois trabalhos semelhantes tiveram tais relatos. A utilização de oficinas, como o esquete teatral, pode contribuir na construção do conhecimento de forma mais dinâmica e participativa. Assim, colaborando para o interesse do aluno e tornando mais eficiente o processo ensino-aprendizagem.

4)  Tabela Lúdica: Uma proposta de ferramenta para a divulgação de jogos sobre a tabela periódica para professores.

 

Autora: Tayná Viana Lanxin 

Orientador: Dr. Robson Roney Bernardo

A escola moderna e suas metodologias ativas requerem o máximo de atividade por parte do aluno, por entender a aprendizagem como um processo dinâmico. Sendo assim, o jogo ganha espaço como uma ferramenta ideal no ambiente escolar, pois propõe estímulo aos interesses do aluno, ajuda a desenvolver níveis diferentes de experiência pessoal e social, além de levar o professor à condição de condutor do processo de ensino-aprendizagem. A Tabela Periódica é uma ferramenta muito importante no ensino da Química e sua ludicidade permitiu a adaptação de jogos populares para jogos didáticos que auxiliam no ensino-aprendizagem sobre a tabela e os elementos químicos. O presente trabalho teve como objetivo principal desenvolver um site para divulgação de jogos didáticos sobre a Tabela Periódica, voltado para professores do ensino médio da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro. Para tanto, foram selecionados jogos que contemplassem as habilidades referentes à Tabela Periódica, do currículo essencial do ensino médio regular. Foi desenvolvido o site “Tabela Lúdica” adicionando os jogos selecionados em forma de publicações, com o passo a passo para sua utilização nas aulas de Química. Foi construído e aplicado um questionário para que os professores de Química da rede estadual de ensino, lotados em escolas do município de Petrópolis/RJ, avaliassem o site e os jogos publicados nele, além de traçar o perfil desses docentes. A maioria dos participantes da pesquisa desconheciam os jogos divulgados no “Tabela Lúdica”, o que pode ter relação com o fato de alguns deles não terem concluído a licenciatura em Química e, mesmo assim ministrarem aulas da disciplina. Também pode ter relação com o fato do tempo médio de conclusão da graduação e/ou pós-graduação desses docentes ser anterior ao período estabelecido para a seleção dos jogos, que foi de 2015 a 2021. Os jogos “UNO Químico”, “Perfil Químico”, “Química Naval” e “XENUBI” fizeram os professores se sentirem muito estimulados a utilizá-los, portanto a seleção de jogos para o site foi adequada. Concluiu-se, a partir das avaliações dos professores, que o site “Tabela Lúdica” é uma ferramenta adequada para a divulgação de jogos didáticos sobre a Tabela Periódica.

5) Engenharia de tecidos e órgãos para a educação básica: Elaboração de um e-book

 

Autora: Valesca Bitencourt Marques

Orientador: Dra. Leandra Santos Baptista

Propõe-se com este estudo um levantamento bibliográfico nos livros adotados na disciplina de Biologia de acordo com o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), para investigar se a bioimpressão de tecidos e órgãos está inserida nos temas abordados em biotecnologia. Observa-se que nos livros didáticos analisados o tema não é citado em nenhum dos sete livros escolhidos, dentro dos dez que são sugeridos pelo PNLD. As técnicas empregadas na biotecnologia possuem um avanço muito rápido e nem sempre os livros didáticos conseguem acompanhar, desta forma o professor fica preso aos conteúdos que o material didático adotado aborda, perdendo a oportunidade de trazer para sala de aula técnicas mais inovadoras. A bioimpressão de tecidos e órgãos é uma técnica muito interessante, que mostra uma realidade muito promissora para a impressão de tecidos lesionados, recuperação de partes de órgãos que sofreram uma lesão, e pode ser visto também como uma nova abordagem para substituir testes de cosméticos em animais, através da produção de pele artificial bioimpressa. Diante de toda a informação acerca, das técnicas biotecnológicas, percebe-se que o ensino não consegue acompanhar esses avanços, logo se faz necessário trazer para sala de aula informações que não constam nos livros didáticos, de forma mais lúdica e com a participação dos alunos. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi elaborar um e- book que traga essa informação pronta, para que o professor possa aplicar em suas aulas, se assim desejar, pois com a demanda diária que os professores possuem, não há tempo livre para buscarem informações além do material didático adotado.

6) Caderno de física para professores de Ciência

Autora: Deborah Paredes Soares da Silva

Orientador: Dra. Mônica de Mesquita Lacerda

Muitas são as dificuldades enfrentadas pelo professor no desenvolvimento das aulas de Ciências, resultando em aulas muito expositivas, pouco práticas, dinâmicas e interdisciplinares. Observa-se que nas séries iniciais do ensino fundamental muitos professores de ciências não abordam os temas de física pois se sentem despreparados e sem “bagagem suficiente” para lecionar estes conteúdos básicos. Sabe-se que este problema tem diversas causas e uma delas pode estar nos cursos de formação destes docentes, pois muitas grades curriculares não contemplam adequadamente disciplinas de física para licenciados em Ciências Biológicas. O Ensino de Ciências deve se dar de forma interdisciplinar, propiciando condições do aluno gostar, aprender e perceber a aplicabilidade dos temas no seu dia-a-dia, porém a educação tradicional não tem permitido que isso ocorra. O objetivo desta dissertação é a construção de um Caderno de Física para Professores de Ciências a fim de contribuir para a prática pedagógica de docentes de Ciências. O trabalho inclui a aplicação de um questionário prévio para entender as necessidades dos docentes, a preparação do produto pedagógico e a aplicação de um questionário de análise do Caderno de Física para Professores de Ciências por docentes da educação básica, especialmente do 6º aos 9º anos do ensino fundamental. A partir da análise dos dados após os questionários observou-se os conteúdos de física que os professores possuem maior dificuldade de lecionar como eletricidade, magnetismo e óptica, presentes na BNCC. Além disso, deve-se elencar que segundo as respostas dos professores entrevistados, os mesmos possuem dificuldade de lecionar de forma interdisciplinar e prática. Após a análise do questionário pós, pode-se afirmar que segundo as normas de validação pré-estabelecidas no início do trabalho, o Caderno de Física foi validado pelos professores que participaram do estudo.

DISSERTAÇÕES DEFENDIDAS EM 2022

bottom of page